Federação Goiana de Futebol

NOTÍCIA

Números do Goianão 2017 após a 2ª Rodada do 3º Turno





+ Jogos realizados: 58.
 
 
+ Gols marcados: 128.
 
 
+ Média de gols: 2,20 por partida.
 
 
+ Principais artilheiros: 1º Léo Gamalho (Goiás) e Gilmar (Itumbiara) 7 gols. Jorginho (Atlético), Nonato e Michael (Goianésia), Saulo (Rio Verde) e Robert (Aparecidense) 5 gols. Moisés (Vila Nova), Frontini (Crac) e João Pedro (Atlético) 4 gols. Wesley Matos (Vila Nova), Aleílson (Aparecidense), Tiago Luis (Goiás) e André Luis (Rio Verde) 3 gols.
 
 
+ Gols contra: 2 – Rafael Araújo (Itumbiara) à favor do (Atlético) e Furlan (Anápolis) à favor do (Vila Nova).
 
 
+ Jogador com o maior número de Rodadas na artilharia principal: Léo Gamalho (Goiás) 11 Rodadas.
 
 
+ Jogadores que marcaram o maior número de gols em 1 única partida: Gilmar (Itumbiara) no jogo Atlético 3x3 Itumbiara (5ª Rodada (Última) do 1º Turno), Michael (Goianésia) no jogo Goianésia 5x1 Vila Nova (4ª Rodada do 2º Turno) e João Pedro (Atlético) no jogo Crac 0x3 Atlético (5ª Rodada (Última) do 2º Turno) 3 gols.
 
 
+ Times que menos perderam: Goiás e Aparecidense 2; Goianésia,  Anápolis, Vila Nova e Itumbiara 3.
 
 
+ Equipes que mais perderam: Rio Verde e Crac 5; Iporá e Atlético 4.
 
 
+ Times que mais venceram: Aparecidense 7; Vila Nova e Goiás 6.
 
  
+ Equipes que menos venceram: Itumbiara e Crac 1; Rio Verde, Iporá, Goianésia e Anápolis 2.
 
 
+ Equipes que mais empataram: Itumbiara e Goianésia 7; Anápolis e Iporá 6.
 
 
+ Times que menos empataram: Atlético 2; Vila Nova e Aparecidense 3.
 
  
+ Equipes que mais marcaram gols: Goiás 20; Aparecidense 16; Goianésia, Vila Nova, Atlético e Rio Verde 14.
 
 
+ Times que menos marcaram gols: Anápolis 7; Iporá 8; Itumbiara 10.
 
 
+ Equipes que menos sofreram gols: Atlético e Aparecidense 9; Iporá e Anápolis 11.
 
 
+ Times que mais sofreram gols: Rio Verde 19; Crac 16; Goianésia e Itumbiara 14.
 
 
+ Total de resultados diferentes que aconteceram: 12.
 
 
+ Resultados que mais aconteceram: 1x0 – 12 vezes; 1x1 – 11 vezes; 0x0 – 9 vezes.
 
 
+ Time com a maior sequência de vitórias consecutivas: Aparecidense (da 5ª à 11ª Rodadas) 7.
 
 
+ Equipe com a maior sequência de jogos consecutivos sem derrota: Aparecidense (da 5ª à 12ª Rodadas) (7 vitórias e 1 empate) 8.
 
 
+ Time com a maior sequência de derrotas consecutivas: Rio Verde (da 8ª à 11ª Rodadas) 4.
 
 
+ Equipes com a maior sequência de jogos consecutivos sem vitória: Crac (da 1ª à 8ª Rodadas) (5 empates e 3 derrotas) e Itumbiara (da 1ª à 8ª Rodadas) (5 empates e 3 derrotas) 8.
 
  
+ Total de expulsões: 17.
 
 
+ Jogadores expulsos: Goiás (Victor Bolt e Everton Sena); Rio Verde (Ramon); Iporá (Johnny, Wesly e Everton Luis); Crac (Guaraci, Gilberto e Frontini); Itumbiara (Mateus Magro e Alex Santos); Vila Nova (Wesley Matos); Goianésia (Bruno Henrique); Atlético (Júnior Viçosa e Betinho); Aparecidense (Aleílson); Anápolis (Leandro Bulhões).
 
 
+ Total de advertências com o cartão amarelo: 303.
 
 
+ Times com o maior número de advertências com o cartão amarelo: Aparecidense 40; Goiás 37; Rio Verde 36.
 
 
+ Equipes com o menor número de advertências com o cartão amarelo: Anápolis e Vila Nova 25; Itumbiara 26.
 
 
+ Times que ocuparam a liderança da 1ª Fase: 3 = Vila Nova (8 Rodadas); Aparecidense (3 Rodadas); Goiás (1 Rodada).
 
 
+ Equipes que figuraram na faixa de classificação à Fase Semifinal: 7 = Vila Nova e Goiás (12 Rodadas); Atlético (11 Rodadas); Aparecidense (8 Rodadas); Crac e Iporá (2 Rodadas); Goianésia (1 Rodada).
 
 
+ Times que figuraram na faixa do rebaixamento: 6 = Anápolis e Crac (7 Rodadas); Rio Verde (4 Rodadas); Itumbiara (3 Rodadas); Atlético e Aparecidense (1 Rodada).
 
 
+ Equipes que ocuparam a lanterna da 1ª Fase: 6 = Anápolis (4 Rodadas);  Crac (3 Rodadas); Rio Verde (2 Rodadas); Atlético, Aparecidense e Itumbiara (1 Rodada).
 
 
+ Confronto de pontos entre os grupos na 1ª Fase: Times do Grupo A 73 x 77 Times do Grupo B. 
 
 
+ Times que venceram fora de casa: 7 = Aparecidense, Atlético e Vila Nova 3; Goiás, Anápolis, Crac e Itumbiara 1.
 
 
+ Equipes que perderam em casa: 9 = Iporá 3; Anápolis e Crac 2; Aparecidense, Goianésia, Goiás, Itumbiara, Rio Verde e Vila Nova 1.
 
 
+ Goleadas aplicadas: 5 (Vila Nova 3x0 Anápolis – 2ª Rodada do 1º Turno da 1ª Fase; Itumbiara 0x3 Atlético – 3ª Rodada do 2º Turno da 1ª Fase; Anápolis 0x3 Crac – 4ª Rodada do 2º Turno da 1ª Fase; Goianésia 5x1 Vila Nova – 4ª Rodada do 2º Turno da 1ª Fase; Crac 0x3 Atlético – 5ª Rodada (Última) do 2º Turno da 1ª Fase).
 
 
+ Times que aplicaram goleada: 4 = Atlético 2; Vila Nova, Crac e Goianésia 1.
 
 
+ Equipes que sofreram goleada: 4 = Anápolis 2; Itumbiara, Vila Nova e Crac 1.
 
 
+ Pênaltis assinalados: 23 (14 convertidos; 9 desperdiçados).
 
 
+ Times que mais tiveram pênalti a favor: Goiás 5; Itumbiara 4; Crac e Vila Nova 3.
 
 
+ Equipes que menos tiveram pênalti à favor: Anápolis 0; Atlético e Goianésia 1.
 
 
+ Times que mais cometeram pênalti: Aparecidense e Rio Verde 5; Atlético 4.
 
 
+ Equipes que menos cometeram pênalti: Crac 0; Iporá, Goiás e Goianésia 1. 
 
 
+ Jogadores que marcaram gol de pênalti: Gilmar (Itumbiara) 4; Frontini (Crac), Saulo (Rio Verde) e Léo Gamalho (Goiás) 2; Hiroshi (Vila Nova), Nino Guerreiro (Crac), Juan (Goiás) e Nonato (Goianésia) 1. 
 
 
+ Jogadores que desperdiçaram pênalti: Tozin (Aparecidense) 2; Léo Gamalho e Juan (Goiás), Johnny e Rodrigo Alves (Iporá), Hiroshi e Wallyson (Vila Nova) e Luiz Fernando (Atlético) 1.
 
 
+ Goleiros que defenderam pênalti: Wagner Bueno (Anápolis) 2; Tom (Rio Verde) e Rodrigo Calaça (Itumbiara) 1.
 
 
+ Total de árbitros que apitaram: 12.
 
 
+ Árbitros que mais apitaram: Eduardo Tomaz 8 jogos; Wílton Sampaio, Jefferson Ferreira e Elmo Resende 7 jogos.
 
 
+ Árbitros que mais expulsaram: Wílton Sampaio 5; Elmo Resende 4; Bruno Rezende 3.
 
 
+ Árbitros que mais advertiram com o cartão amarelo: Elmo Resende 49; Jefferson Ferreira 48; Eduardo Tomaz 40.
 
 
+ Árbitros que mais assinalaram pênalti: Eduardo Tomaz e Breno Souza 5; André Luiz Castro 4.
 
 
+ Total de assistentes que trabalharam: 24.
 
 
+ Assistentes que mais trabalharam: Fabrício Vilarinho 9 jogos; Bruno Pires 8 jogos; Leone Carvalho e Cristhian Passos 7 jogos.
 
 
+ Total de quartos árbitros que trabalharam: 18.
 
 
+ Quartos árbitros que mais trabalharam: Anderson Gonçalves, Rubens Paulo dos Santos, Guilherme Gil e Waldomiro Jackson 5 jogos.
 
 
+ Goleiro menos vazado: Pedro Henrique (Aparecidense) = média de 0,75 por partida, 9 gols sofridos em 12 partidas realizadas.
 
 
+ Goleiro mais vazado: Tom (Rio Verde) = média de 1,58 por partida, 19 gols sofridos em 12 partidas realizadas.
 
 
+ Times que trocaram de técnico: 4 = Anápolis (após a 2ª Rodada do 1º Turno, saiu Charles Fabian, 2 jogos, aproveitamento de 16,66%, entrou Caio Autuori, 3 jogos, aproveitamento de 33,33%, entrou Alexandre Grasseli (interino), 1 jogo, aproveitamento de 33,33%, entrou Waldemar Lemos); Crac (após a 5ª Rodada (Última) do 1º Turno, saiu Lucho Nizzo, 5 jogos, aproveitamento de 20,00%, entrou Alexandre Barroso); Rio Verde (após a 1ª Rodada do 2º Turno, saiu Edson Porto, 6 jogos, aproveitamento de 27,77%, entrou Régis Amarante) e Goiás (após a 5ª Rodada (Última) do 2º Turno, saiu Gílson Kleina, 10 jogos, aproveitamento de 60,00%, entrou Sílvio Criciúma (interino)).
 
 
+ Total de jogadores que já participaram do Campeonato: 276.
 
 
+ Times que mais utilizaram jogadores: Anápolis e Rio Verde 33; Crac 32.
 
 
+ Equipes que menos utilizaram jogadores: Iporá 21; Goianésia 25; Aparecidense, Atlético e Itumbiara 26.
 
 
+ Total de público pagante da 2ª Rodada do 3º Turno da 1ª Fase: 23.806.  
 
 
+ Média de público pagante da 2ª Rodada do 3º Turno da 1ª Fase: 5.951.
 
 
+ Total de público pagante do Campeonato: 183.241.
 
 
+ Média de público pagante do Campeonato: 3.159 (-22,31% em relação a 2016).
 
 
+ Total arrecadado bruto da 2ª Rodada do 3º Turno da 1ª Fase: R$ 474.120,00.
 
 
+ Média de renda da 2ª Rodada do 3º Turno da 1ª Fase: R$ 118.530,00.
 
 
+ Total de renda bruta do Campeonato: R$ 3.456.530,00.
 
 
+ Média de renda do Campeonato: R$ 59.595,34 (-25,72% em relação a 2016).
 
 
+ Maior público pagante: 12.381 no jogo Vila Nova 0x0 Goiás, no domingo, dia 26 de março no Estádio Serra Dourada em Goiânia.
 
 
+ Menor público pagante: 142 no jogo Aparecidense 3x1Crac, no domingo, dia 12 de fevereiro no Estádio Aníbal Batista de Toledo em Aparecida de Goiânia.
 
 
+ Maior renda: R$ 253.540,00 no jogo Vila Nova 0x0 Goiás, no domingo, dia 26 de março no Estádio Serra Dourada em Goiânia.
 
  
+ Menor renda: R$ 1.420,00 no jogo Aparecidense 3x1 Crac, no domingo, dia 12 de fevereiro no Estádio Aníbal Batista de Toledo em Aparecida de Goiânia.
 

 


Autor: Roberto Sampaio
Fonte: Coordenadoria Técnica



Mais Noticias

PARCEIROS
Federação Goiana de Futebol
2017 Federação Goiana de Futebol - Todos os Direitos Reservados
Ala Sul - Estádio Serra Dourada - Jd. Goiás - Goiânia - GO CEP: 74805-100.
Fone/Fax:
(62) 3218-2311 (62)3218-2360
Inédita Propaganda